Obama diz que fará 'o que for preciso' para acelerar a economia

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou neste sábado que fará "tudo o que for preciso" para acelerar a economia e alertou, em meio a críticas sobre suas propostas orçamentárias, que o país tem escolhas difíceis pela frente. Obama, que elaborou uma série de propostas para amenizar a crise econômica desde que assumiu o cargo, em 20 de janeiro, expressou confiança de que tais iniciativas funcionarão mesmo com os números do desemprego em alta e com um cenário econômico pior. "Desde o dia em que assumi, eu sabia que resolver esta crise não seria fácil, não aconteceria da noite para o dia, e continuaremos enfrentando dias difíceis nos próximos meses", afirmou o presidente em seu programa semanal de rádio. "Minha administração está comprometida em fazer tudo o que for necessário para superar essa crise e nos levar a dias melhores", afirmou. Enquanto debate seu pacote de estímulo à economia e medidas para evitar mais execuções de hipotecas, o presidente também previu uma possível batalha em torno de seu Orçamento de 3,5 trilhões de dólares para o ano fiscal de 2010. "Como qualquer família que passa por tempos difíceis, nosso país precisa fazer escolhas difíceis", afirmou. "Para pagar pelas coisas que precisamos, não podemos gastar dinheiro com as coisas que não precisamos." Em seu programa, Obama ligou procedimentos orçamentários de administrações anteriores ao comportamento insensível de Wall Street, que ajudou a causar as crises econômica e financeira. "Nós herdamos um processo orçamentário tão irresponsável quanto insustentável. Por anos, enquanto Wall Street usava truques de contabilidade para omitir custos e evitar responsabilidades, Washington também o fez", afirmou. "Esses tipos de orçamentos irresponsáveis --e práticas imperdoáveis-- agora são coisas do passado", completou. (Reportagem de Jeff Mason)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.