Obama diz que gestão de Putin da crise ucraniana fere interesses da Rússia

O presidente norte-americano, Barack Obama, defendeu nesta sexta-feira os esforços dos Estados Unidos para pressionar a Rússia a deixar de apoiar os separatistas ucranianos, dizendo que o presidente russo, Vladimir Putin, está desafiando a lógica ao ignorar os danos que as sanções ocidentais têm causado à economia da Rússia.

REUTERS

01 de agosto de 2014 | 17h22

"Temos feito tudo o que podemos para apoiar o governo ucraniano e convencer a Rússia a não avançar em direção ao território da Ucrânia", disse Obama em uma entrevista coletiva.

"O presidente Putin deveria querer resolver isso diplomaticamente, para que estas sanções sejam suspensas e para que a sua economia cresça novamente", afirmou ele. "Mas, às vezes, as pessoas nem sempre agem racionalmente."

(Reportagem de Mark Felsenthal)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAOBAMAPUTIN*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.