Obama diz que voluntários da luta contra Ebola precisam de apoio e não restrições

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse nesta terça-feira que os profissionais de saúde voluntários que ajudam a tratar de pacientes com Ebola na África Ocidental devem ser aplaudidos e advertiu que as políticas de quarentena do governo não devem desencorajar seu trabalho na luta contra a doença.

REUTERS

28 de outubro de 2014 | 18h37

Obama falou pela primeira vez desde que os governadores de Nova York e Nova Jersey determinaram a quarentena para profissionais de saúde que retornam da África Ocidental, regras que vão além das diretrizes federais.

Ele disse que as autoridades dos EUA precisam ser guiadas pela ciência, e não por temores.

(Reportagem de Roberta Rampton e Steve Holland)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAOBAMAVOLUNTARIOSEBOLA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.