Obama e Merkel pedem que forças pró-Rússia recuem na Ucrânia

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pediu nesta sexta-feira ao governo russo que influencie os grupos militares pró-Rússia na Ucrânia a recuarem e disse que considera vergonhoso que milícias estejam mantendo observadores internacionais detidos.

Reuters

02 Maio 2014 | 13h38

Obama, em declaração na Casa Branca ao lado da chanceler alemã, Angela Merkel, disse que estão unidos no desejo de impor um preço à Rússia por suas ações na Ucrânia.

O presidente disse ainda que a Rússia deve trabalhar para assegurar a libertação imediata dos observadores internacionais.

(Reportagem de Jeff Mason)

Mais conteúdo sobre:
EUA ALEMANHA RUSSIA CASABRANCA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.