Obama escolhe Biden como candidato a vice-presidente

Senador democrata de 65 anos era o favorito à nomeação por sua experiência em política internacional

Redação com agências internacionais

23 de agosto de 2008 | 02h10

O senador democrata por Delaware Joe Biden, de 65 anos, será o candidato a vice-presidente dos Estados Unidos na chapa de Barack Obama. A nomeação foi antecipada na madrugada desta sexta-feira por um oficial do partido à Associated Press e oficializada pela campanha democrata a simpatizantes do partido por mensagem de celular, por e-mail e pela internet.      Veja também: NTY: Biden fortalece Obama em política externa Perfil de Joe Biden Obama x McCain Conheça a trajetória dos candidatos Cobertura completa das eleições nos EUA    "Joe Biden traz impressionante de colaborações que ultrapassam divisões partidárias. Obama e Biden são líderes que trarão as mudanças que nosso país precisa", diz a campanha democrata em comunicado.O nome de Biden ganhou força nas últimas semanas pelo fato do veterano democrata, em seu sexto mandato, ser presidente do Comitê de Relações Exteriores do Senado americano, o que, na opinião de líderes do partido, pode amenizar a inexperiência de Obama no assunto.O anúncio da escolha do vice-presidente foi feito aos correligionários de Obama por meio mensagens de telefone celular e e-mail. O site oficial do candidato já estampa a foto dos dois democratas pedindo doações. A nomeação foi antecipada no começo da madrugada deste sábado por um membro do partido que falou na condição de anonimidade à Associated Press.  A designação foi o melhor segredo guardado de Washington até a noite passada quando se soube que dois dos principais "elegíveis", o governador da Virgínia, Tom Kaine, e o senador de Indiana Evan Bayh, haviam "saído" da lista.  Além destes dois nomes, Biden desbancou também outros dois pré-candidatos à presidência pelo partido: o governador do Novo México, Bill Richardson,  a senadora e ex-rival de Obama na disputa das primárias, Hillary Clinton. À tarde, Obama fará um comício em Illinois, no mesmo local onde lançou sua pré-candidatura. O primeiro comício da dupla poderá ser acompanhado pelos correligionários da chapa democrata ao vivo e pela internet. Perfil Nascido em Scranton, Pensilvânia, em 1942, Biden é um democrata liberal e católico descendente de irlandeses. Representa o Estado de Delaware no Senado desde 1972. Ele preside o comitê de Relações Exteriores do Senado e é considerado uma das maiores autoridades em política externa do partido. Nos últimos anos, Biden viajou oito vezes ao Iraque e duas ao Paquistão e ao Afeganistão. Na segunda-feira, ele regressou de uma viagem à Geórgia. Em seu site pessoal, Biden destaca dois artigos que escreveu neste mês sobre política externa, sobre o Afeganistão e a Geórgia.   No primeiro deles, o senador defende que o foco da luta dos Estados Unidos contra o terrorismo deve ser Cabul, e não Bagdá. No segundo, Biden critica a reação desproporcional da Rússia contra a Geórgia e argumenta que a ação tem mais a ver com a influência geopolítica russa na região do que com a independência da Ossétia do Sul.   Extrovertido, bom argumentador e mordaz orador, Biden reúne os três requisitos que Obama procura em um companheiro de chapa eleitoral: está preparado para ser presidente, será capaz de ajudá-lo a governar e, sobretudo, tem idéias próprias. "Quero alguém capaz de desafiar minhas idéias e não simplesmente alguém que diga sim para tudo", assegurou na sexta-feira Obama em declarações nas quais, sem revelar o nome do eleito, fez um retrato da pessoa com a qual quer compartilhar as tarefas da Presidência.Biden foi pré-candidato à Presidência dos EUA em 2008, mas, com pouco apoio, retirou sua chapa logo após o início das eleições primárias. Biden votou a favor da guerra do Iraque - o que Obama foi contra desde o início - mas se opôs posteriormente à maneira como o governo de George W. Bush lidou com a ocupação do país. Formado em direito pela Universidade de Delaware, se elegeu senador com 29 anos. Uma curiosidade sobre ele é que o senador ainda mora em sua cidade natal, ao lado da esposa e da mãe, de 90 anos.   Texto ampliado às 7h21.  

Tudo o que sabemos sobre:
ObamaBidenEleições nos EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.