Obama estuda usar resgate financeiro para criar empregos

Taxa de desemprego nos Estados Unidos alcançou o patamar mais alto em 25 anos

Efe,

08 de dezembro de 2009 | 04h47

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, fará nesta terça-feira, 8, um discurso sobre a situação econômica em um momento no qual o país estuda usar parte do pacote de resgate financeiro para incentivar a criação de postos de trabalho.

 

Obama disse na última segunda-feira que o Programa de Assistência de Ativos de Risco (TARP, na sigla em inglês), dotado inicialmente de US$ 700 bilhões, foi "mais barato do que o esperado".

 

O presidente americano mencionou a possibilidade de destinar parte deste dinheiro a programas que permitam a criação de postos de trabalho e antecipou que falará sobre este assunto no discurso que pronunciará nesta terça-feira, na Brookings Institution, em Washington.

 

Os últimos cálculos do departamento do Tesouro apontam que o TARP exigiria nos próximos dez anos um investimento de US$ 141 bilhões, muito abaixo dos US$ 341 bilhões projetados pela Casa Branca em agosto. Esta diferença de US$ 200 bilhões é que pode vir a ser utilizada em programas de criação de empregos.

 

A taxa de desemprego nos EUA alcançou nos últimos meses seu patamar mais alto em 25 anos e passou a ser o calcanhar de Aquiles da recuperação econômica.

 

Embora o país tenha crescido no terceiro trimestre de 2009, o desemprego chegou a 10,2% em outubro, apesar de ter caído levemente para 10% em novembro.

 

Ontem, Obama disse que seu Governo está estudando diversas vias para acelerar a criação de empregos, concretamente mediante programas para facilitar o acesso ao financiamento de pequenas e médias empresas.

 

"Esta é uma área onde realmente podemos fazer a diferença", disse.  

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.