Obama faz piada sobre cozinha de helicóptero presidencial

Um helicóptero de última geração projetado para transportar o presidente norte-americano Barack Obama durante um eventual ataque nuclear também serviria para atividades secretas --de culinária.

REUTERS

17 de agosto de 2009 | 17h26

O helicóptero, um dos mais avançados do mundo, foi descartado pelo Pentágono por causa do alto custo. Obama revelou nesta segunda-feira que o aparato teria uma cozinha a bordo.

"Entre outras facilidades, ele permitiria que eu cozinhasse durante um ataque nuclear. Deixa eu falar uma coisa: se os Estados Unidos da América estivessem sob um ataque nuclear, a última coisa que passaria pela minha cabeça seria fazer uma boquinha", disse Obama, arrancando risos e aplausos da audiência, composta por militares veteranos.

O secretário de Defesa, Robert Gates, cancelou em abril o programa VH-71 da Lockheed Martin para o desenvolvimento do helicóptero. Ele se tornou um símbolo da iniciativa de Obama contra contratos caros de defesa, que segundo ele desperdiçam bilhões de dólares dos contribuintes.

O programa seria responsável por substituir a atual frota de helicópteros presidenciais "Marine One", em serviço há uma geração. A princípio, ele deveria incluir 23 helicópteros a um custo de 6,5 bilhões de dólares, mas ele sofreu um atraso de seis anos e o custo estimado disparou para mais de 13 bilhões.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAOBAMAHELICOPTERO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.