Obama lidera em 3 Estados decisivos com apoio à imigração

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, assumiu uma clara liderança em Ohio, Pensilvânia e Flórida --três Estados decisivos na eleição de 6 de novembro-- sobre seu adversário republicano, Mitt Romney, mostrou uma pesquisa divulgada nesta quarta-feira.

SUSAN HEAVEY, REUTERS

27 de junho de 2012 | 14h19

A pesquisa da Universidade Quinnipiac, feita poucos dias depois do anúncio da política de imigração de Obama em 15 de junho, também encontrou forte apoio em todos os três Estados para a ordem permitindo que alguns imigrantes ilegais trazidos para o país quando crianças evitassem a deportação.

Em geral, a pesquisa revelou que Obama está à frente de Romney por 9 pontos percentuais em Ohio (47 por cento para 38 por cento), 6 pontos percentuais na Pensilvânia (45 por cento a 39 por cento) e 4 pontos percentuais na Flórida (45 por cento para 41 por cento).

A pesquisa mostrou Obama com uma grande vantagem entre as mulheres, eleitores mais jovens e negros nos três Estados.

Os resultados estão fora da margem de erro de mais ou menos 2,8 por cento. No mês passado, a disputa em Ohio e Flórida estava muito acirrada para considerar uma vantagem, e Obama liderava na Pensilvânia por uma margem ainda maior de 8 pontos percentuais, de acordo com a pesquisa de cerca de 3.700 eleitores.

Os três Estados podem ser decisivos para ganhar a eleição presidencial, e "ninguém ganhou a Casa Branca desde 1960 sem ganhar em pelo menos dois deles", afirmou a Quinnipiac.

Obama está buscando um segundo mandato de quatro anos e ganhou em todos os três em 2008. Pesquisas nacionais têm mostrado Obama e Romney em uma disputa apertada.

"Se ele puder manter essas lideranças em todos os três destes Estados indefinidos até o dia da eleição, ele terá virtualmente assegurado a reeleição", disse Peter Brown, diretor-assistente do Instituto de Pesquisas da Universidade Quinnipiac.

IMIGRAÇÃO E ECONOMIA

A pesquisa Quinnipiac entrevistou eleitores de 19 a 25 de junho, dias depois de Obama anunciar que centenas de milhares de imigrantes ilegais que foram trazidos para os Estados Unidos quando crianças poderiam evitar a deportação e obter autorizações de trabalho. Os imigrantes ilegais nos Estados Unidos, em sua maioria, são latinos.

A ação de Obama veio em meio à oposição republicana no Congresso para a lei de imigração 'Dream Act' apoiada pelo presidente. Romney acusou Obama de motivação política em fazer a mudança, mas se negou a dizer se iria revogá-la se fosse eleito.

"Os eleitores em todos os três Estados demonstraram forte apoio para a ordem de imigração mini 'Dream Act' do presidente, e eles dizem que o presidente seria melhor do que Romney lidando com a imigração", disse Brown.

Na Flórida, os eleitores latinos disseram que apoiariam Obama sobre Romney em 56 por cento a 32 por cento -aumento de 7 pontos percentuais frente a outra pesquisa da Quinnipiac no início de junho, antes da mudança de política.

Mais da metade dos eleitores entrevistados em Ohio e Pensilvânia também disse apoiar a política de imigração.

A situação é menos clara quando se trata de economia, um tema central antes da eleição à medida que o país luta para se recuperar da pior recessão em mais de 80 anos.

Eleitores em todos os três Estados ficaram divididos sobre se Obama ou Romney faria um trabalho melhor na economia ou melhoraria o seu futuro econômico pessoal.

Mais conteúdo sobre:
EUAOBAMALIDERA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.