Obama não descarta nenhuma opção para combater rebeldes no Iraque

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse nesta quinta-feira que está examinando todas as opções para ajudar o governo iraquiano a enfrentar a crescente insurgência de islamitas radicais e não descarta ataques militares para garantir a segurança ao país.

REUTERS

12 de junho de 2014 | 15h55

"Minha equipe está trabalhando contra o relógio para identificar como nós podemos prover a assistência mais eficaz ao Iraque", disse ele a repórteres no Salão Oval da Casa Branca.

"Não descarto nada porque nós temos interesse em garantir que esses jihadistas não consigam manter uma presença permanente no Iraque ou na Síria", disse ele quando questionado se os EUA estavam considerando a possibilidade de ataques aéreos para conter a violência.

Obama, falando na Casa Branca enquanto se reunia com o primeiro-ministro australiano, Tony Abbot, disse que os iraquianos precisavam fazer mais para pôr fim às divisões sectárias do país, mas ele observou que é necessária uma ação militar imediatamente.

(Reportagem de Jeff Mason)

Mais conteúdo sobre:
EUAOBAMAIRAQUE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.