Obama: não há opção fora da mesa sobre o programa nuclear do Irã

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, advertiu o Irã que seu país mantém a pressão sobre o polêmico programa nuclear da República Islâmica, sendo que "nenhuma opção (está) fora da mesa", mas disse que a porta continua aberta às negociações para uma resolução pacífica.

LAURA MACINNIS, REUTERS

25 de janeiro de 2012 | 11h27

Em seu discurso do Estado da União na noite de terça-feira, Obama disse que o governo iraniano ficou isolado e enfrenta sanções "paralisantes" que, segundo ele, continuarão enquanto Teerã mantiver dando as costas para a comunidade internacional.

"A América está determinada a impedir que o Irã obtenha uma arma nuclear, e eu não vou tirar nenhuma opção da mesa para atingir esse objetivo. Mas uma resolução pacífica para este problema ainda é possível, e muito melhor, e se o Irã mudar o curso e cumprir suas obrigações, poderá retornar à comunidade das nações", disse ele.

Ao assumir o cargo em 2009, Obama rompeu com a política de seu predecessor republicano George W. Bush e ofereceu uma nova oportunidade ao Irã, dizendo que queria um novo começo com o país que Bush havia marcado como parte do "eixo do mal".

Mas a oferta para negociar não deu frutos e as tensões continuaram a crescer sobre o programa nuclear iraniano, que Teerã diz ser para fins energéticos, mas nações ocidentais temem que seja para construir uma arma nuclear.

Em seu discurso ao Congresso, que focou principalmente sobre a economia dos EUA, Obama também disse ter certeza que o líder sírio Bashar al-Assad "vai logo descobrir que as forças da mudança não podem ser revertidas" e que os EUA iriam se posicionar contra a violência e intimidação no Oriente Médio e em outras regiões.

Com o discurso, ele também procurou atenuar as preocupações entre os eleitores judeus nos EUA sobre a sua posição em relação a Israel.

"Nosso compromisso férreo - e eu quero dizer férreo - com a segurança de Israel significa a mais estreita cooperação militar entre os nossos dois países na história", disse Obama.

O programa nuclear do Irã é uma grande preocupação para Israel, que não descartou a possibilidade de um ataque unilateral contra instalações nucleares iranianas.

(Reportagem adicional de Joanne Allen)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAIRAOBAMA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.