Obama nomeia Gary Locke como secretário do Comércio

O presidente Barack Obama disse acreditar que o ex-governador de Washington é o homem certo para o cargo

AE,

25 de fevereiro de 2009 | 14h43

Depois da desistência de dois nomeados, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, nomeou o ex-governador do Estado de Washington, Gary Locke, para o cargo de secretário de Comércio.  Veja também:  O time de Obama "Eu estou certo que não erramos nas duas tentativas que fizemos", disse o presidente."Mas eu acredito na manutenção de alguma coisa até que ela esteja certa. E Gary é o homem certo para este trabalho".  Locke, que é democrata, foi o primeiro chinês-americano a governar um Estado do país. Ele ocupou o cargo duas vezes entre 1997 e 2005. Obama disse que Locke será uma "voz de confiança" em seu gabinete, crucial para a implementação do pacote de recuperação de sua administração e a promoção da indústria norte-americana ao redor do mundo.  "Gary conhece do sonho americano, ele o vive", disse Obama. "É por isso que ele compartilha meu compromisso com o que quer que seja para mantê-lo vivo em nosso tempo." Locke deve ser menos controverso do que os homens que Obama inicialmente escolheu para o posto: o governador do Novo México, o democrata Bill Richardson, e o senador republicano Judd Gregg. Richardson desistiu em meio a uma investigação em seu Estado e Gregg decidiu que não podia trabalhar na administração Obama em razão das diferenças filosóficas.  Locke, em breves observações, prometeu ser um advogado da indústria que luta para pagar seus empregados e retirá-las da recessão.  "O sucesso econômico de nossa nação é ligado diretamente ao fato de os Estados Unidos continuarem a liderar em tecnologia e inovação e na exportação de produtos e serviços e ideias para países ao redor do mundo." Ao nomear Locke, a Casa Branca está buscando sua experiência em questões complexas de comércio, tanto como governador como conselheiro de empresas, atividade que exerceu desde que deixou o governo. Como governador, ele liderou dez missões de comércio para a Ásia, México e Europa e incentivou as exportações de Washington para a China. Ele também fez um acordo com o Canadá para proteger as rotas de salmão selvagem e lançou uma iniciativa sobre mudanças climáticas com outros Estados da costa oeste. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.