Obama nomeia secretário para Assuntos dos Veteranos

Presidente eleito dos Estados Unidos apresentou o general asiático-americano aposentado neste domingo

EFE

07 de dezembro de 2008 | 18h47

O presidente eleito dos EUA, Barack Obama, confirmou em entrevista coletiva neste domingo, 7, a indicação do general reformado Eric Shinseki para assumir o Departamento de Assuntos dos Veteranos de Guerra, segundo a Efe. O militar foi um dos críticos da estratégia do governo Bush adotada para o Iraque.   Veja também: Obama preenche novo gabinete em tempo recorde   O gabinete do presidente eleito   Shinseki é o primeiro asiático-americano a ocupar o cargo de secretário dos Assuntos dos Veteranos, elevando a crescente diversidade do Gabinete presidencial. Ele dirigirá uma das maiores agências governamentais do país, que administra os assuntos de saúde e outros benefícios do amplo grupo de veteranos, assim como de suas famílias e sobreviventes. Ela é a maior agência depois do Departamento de Defesa, com 240 mil empregados. O anuncio de Obama foi feito para coincidir com o aniversário do ataque a Pearl Harbor em 1941, quando os japoneses lançaram seus aviões contra a base do Havaí, incidente que fez os EUA entrarem na Segunda Guerra Mundial. Assim como Obama, Shinseki nasceu no Havaí e seus pais são japoneses e americanos.   Shinseki enfrentou o governo de Bush ao se opor ao número de soldados enviados para o Iraque para estabilizar o país depois da invasão dos EUA. O general serviu o Exército por 38 anos e perdeu parte de seu pé direito em uma de suas incursões de combate no Vietnã. Ex-chefe do Estado Maior do Exército entre 1999 e 2003, ele foi afastado por afirmar que o Iraque precisava de mais militares do que o então secretário de Defesa de Bush, Donald Rumsfeld, pretendia enviar. Em seu discurso de retirada, Shinseki criticou os que mostram "desconfiança e arrogância" sobre os líderes do Exército e advertiu dos perigos de se exigir demais das Forças Armadas.   Segundo o jornal americano The New York Times, a controvérsia tornou o general popular entre os soldados no Iraque e veteranos de guerra descontentes com o número inadequado de soldados. Ao tomar posse, ele herdará uma agência que luta contra o crescente número de veteranos que retornam das guerras no Iraque e no Afeganistão com problemas físicos e mentais, assim como os soldados de conflitos anteriores.   Em entrevista na TV no sábado, Obama disse que selecionou Shinseki para o posto porque ele estava certo "na previsão de que os Estados Unidos iriam precisar de mais tropas no Iraque, ao contrário do que acreditava o Secretário de Defesa, Donald Rumsfeld".

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições nos EUAObama

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.