Obama ordena novas sanções contra setor de energia do Irã

Washington promete punir instituições que ajudarem país islâmico a desenvolver programa nuclear

Reuters

21 de novembro de 2011 | 20h55

WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, ordenou nesta segunda-feira, 21, novas sanções contra os setores de energia e petroquímico do Irã que punirão qualquer um que ajudar a República Islâmica a desenvolver e expandir seus recursos petrolíferos, afirmou a Casa Branca.

 

Veja também:

documento PARA ENTENDER: O que diz o relatório da AIEA

lista Veja as sanções já aplicadas contra o Irã

lista NA ÍNTEGRA: O relatório da AIEA (em inglês)

especialESPECIAL: Tambores de guerra no Oriente Médio

especialESPECIAL: O programa nuclear do Irã

A mais recente medida dos EUA pretende aumentar a pressão sobre Teerã depois que a agência nuclear da Organização das Nações Unidas (ONU) levantou novas preocupações sobre as possíveis dimensões militares do programa nuclear iraniano.

O Departamento do Tesouro também nomeou o Irã como área "de preocupação primária para lavagem de dinheiro" nesta segunda-feira e o secretário do Tesouro, Timothy Geithner, alertou bancos globais a terem cuidado ao fazer negócios que ajudem ao programa nuclear iraniano. "Instituições financeiras ao redor do mundo devem pensar firme sobre os riscos de realizar negócios com o Irã", afirmou Geithner em comunicado preparado.

Em aparição conjunta com Geithner no Departamento do Estado para anunciar novas sanções norte-americanas, a secretária de Estado Hillary Clinton disse que a designação mostrou o risco de qualquer transação financeira com o Irã.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.