Obama ordena simplificação de vistos para brasileiros e chineses

O presidente norte-americano, Barack Obama, ordenou nesta quinta-feira a racionalização das inscrições para a obtenção de vistos de turista, com foco nos cada vez mais influentes visitantes brasileiros e chineses, em uma iniciativa para estimular o turismo nos Estados Unidos e a criação de empregos.

ALISTER BULL, REUTERS

19 de janeiro de 2012 | 17h08

O pacote de reformas, em sua maioria modestas, é a mais recente medida apresentada por Obama para mostrar aos eleitores a sua seriedade em estimular o mercado de trabalho e ação em ano eleitoral, quando o Congresso trabalha em ritmo de impasse.

Obama planejou anunciar formalmente as medidas para reduzir a burocracia e facilitar a ida de turistas estrangeiros aos Estados Unidos enquanto visitava a Disney World, em Orlando, nesta quinta-feira.

A Flórida, que depende fortemente dos dólares dos turistas estrangeiros, é um Estado considerado crucial na disputa para a reeleição de Obama. Pesquisas recentes indicaram que sua popularidade lá está caindo.

"Todos os anos, dezenas de milhares de turistas de todo o mundo vêm e visitam os Estados Unidos", disse Obama em um comunicado. "E, quanto mais gente visitar os EUA, mais americanos voltarão ao trabalho. Precisamos ajudar os negociantes de todo o país a crescer e a criar empregos, a competir e vencer."

A Casa Branca estimou que mais de 1 milhão de empregos nos Estados Unidos podem ser criados na próxima década se o país aumentar a sua parcela no mercado internacional do turismo.

Os visitantes estrangeiros geraram 134 bilhões de dólares em 2010, tornando-se a maior indústria de serviços de exportação do país, informou o Departamento de Comércio. O número de turistas provenientes de economias emergentes com uma classe média cada vez maior, como Brasil, China e Índia, deve crescer bastante nos próximos anos.

A indústria do turismo e grupos empresariais norte-americanos defendem há muito tempo um alívio nas restrições dos vistos impostas após os ataques de 11 de setembro de 2001.

Entre as reformas anunciadas, está uma ordem para o governo aumentar em 40 por cento a capacidade de processamento de vistos para não-imigrantes no Brasil e na China em 2012, garantindo que 80 por cento dos candidatos sejam entrevistados em três semanas e expandindo o programa de isenção de vistos.

Ainda, um programa piloto para simplificar e acelerar os processos de concessão de vistos para brasileiros e chineses, incluindo a possibilidade de isentar das entrevistas candidatos considerados de baixo risco.

Obama também ordenou a inclusão de Taiwan na lista dos países isentos de vistos e a criação de uma força-tarefa para desenvolver sugestões para expandir o turismo internacional.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAVISTOBRASIL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.