Obama pede a nações africanas que não deem ‘desculpas’ econômicas

"É hora de pôr fim à ideia de que todos os problemas dos países africanos resultam de "uma dívida onerosa imposta pelo Ocidente"

REUTERS

28 de julho de 2014 | 19h05

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, deu nesta segunda-feira uma prévia da cúpula que irá realizar com líderes africanos na semana que vem, dizendo que as nações do continente deveriam buscar em si mesmas as soluções para problemas econômicos e não darem “desculpas” baseadas em sua história de dependência e colonização.

Falando a 500 estudantes africanos ao final de um intercâmbio em Washington, Obama disse que, embora seja importante para países desenvolvidos cogitar algum alívio pontual da dívida, é hora de pôr fim à ideia de que todos os problemas dos países africanos resultam de “uma dívida onerosa imposta pelo Ocidente”.

“Em algum momento, temos que parar de procurar por soluções em outro lugar e procurá-las internamente”, afirmou Obama à plateia entusiasmada.

“E por mais poderosa que a história seja, e é preciso conhecê-la, em algum momento é preciso olhar para o futuro e dizer ‘ok, não conseguimos um bom acordo na ocasião, mas vamos ter certeza de que não estamos dando desculpas por não ir em frente’”.

A Cúpula EUA-África da semana que vem em Washington irá reunir líderes econômicos e políticos de toda a África para discutir o desenvolvimento do continente e o papel dos EUA em parcerias e investimento.

Os comentários de Obama foram uma rejeição à fala do presidente da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang Nguema, no mês passado, segundo o qual a dominação "neocolonial" do Ocidente na África impediu o desenvolvimento do continente.

(Por Annika McGinnis)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAOBAMAAFRICA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.