Obama pressionará por lei para controlar armas nos Estados Unidos

Equipe liderada por Joe Biden deverá apresentar propostas para reduzir a violência relacionada às armas

AE, Agência Estado

19 de dezembro de 2012 | 15h52

WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, está pedindo a uma equipe liderada pelo vice-presidente Joe Biden que apresente "propostas concretas" para reduzir a violência relacionada às armas até o final de janeiro. A formação da equipe ocorre logo após o massacre de 26 pessoas na escola primária de Newtown, na sexta-feira passada, em Connecticut. Obama disse nesta quarta-feira que após receber as recomendações, irá pressionar "sem atrasos" por uma legislação no Congresso.

Obama disse que a questão da venda de armas é complexa nos EUA, mas "nós temos uma obrigação profunda - todos nós - de tentarmos resolver essa questão". Biden, que defende há longo tempo o controle nas vendas de armas, liderará a equipe que incluirá funcionários da administração Obama e também grupos da sociedade civil.

Na sexta-feira passada, o atirador Adan Lanza, de 20 anos, matou com um rifle semiautomático 20 crianças e seis adultos na escola em Newtown, após matar a própria mãe, colecionadora de armas, em casa.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.