Obama promete medidas agressivas para o crescimento econômico

O presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, disse neste sábado que seu plano para criar 2,5 milhões de novos empregos inclui o maior investimento em infra-estrutura desde a década de 50 e um grande esforço para reduzir o uso de energia do governo norte-americano. Os Estados Unidos também darão grande impulso para expandir o acesso à internet de banda larga e modernizar prédios escolares em todo o país, disse Obama. "Precisamos de ação --e ação agora", afirmou ele no discurso semanal de rádio ao Partido Democrata, um dia após dados do governo terem mostrado que os empregadores norte-americanos cortaram 533 mil postos de trabalho em novembro, a maior queda em 34 anos. Obama, que assume o cargo em 20 de janeiro, prometeu agir rapidamente para tirar a economia do país da recessão, que já levou a taxa de desemprego a 6,7 por cento e pode chegar a mais de 8 por cento no final do próximo ano. Ele começou pedindo à sua equipe econômica um plano para criar pelo menos 2,5 milhões de novos empregos até 2011. Espera-se que o Congresso aprove um grande projeto de lei de estímulo à economia em janeiro, que pode estar pronto para a assinatura de Obama imediatamente após ele assumir o governo. "Primeiro, lançaremos um grande esforço para tornar os edifícios públicos mais eficientes em termos de energia. Nosso governo paga atualmente a maior conta de energia do mundo", afirmou Obama. Substituir antigos sistemas de aquecimento e instalar nos edifícios federais lâmpadas incandescentes, que são eficientes no consumo de energia, salvará bilhões de dólares dos contribuintes, além de criar novos empregos, afirmou. Milhões de novos postos de trabalho também viriam do "único grande novo investimento em nossa infra-estrutura desde a criação do sistema federal de rodovias na década de 50", disse Obama, sem fornecer números precisos. De acordo com o plano, os Estados perderão dinheiro do governo federal se não agirem rapidamente para construir ou reparar estradas e pontes. "Estabeleceremos uma simples regra: use ou perca", afirmou. O plano de Obama, que ele promete detalhar nas próximas semanas, inclui a modernização de escolas, para torná-las eficientes no consumo de energia e colocar novos computadores nas salas de aula. "Também renovaremos nossa auto-estrada da informação. É inaceitável que os Estados Unidos estejam no 15o lugar na adoção de banda larga", acrescentou. Ele disse que pretende levar mais escolas e livrarias para a internet e assegurar que hospitais estejam interconectados eletronicamente. Assegurar que cada consultório e hospital dos Estados Unidos está usando tecnologia de ponta e registros médicos eletrônicos irá "cortar a burocracia, prevenir erros médicos e salvar bilhões de dólares todos os anos", concluiu. (Edição de Todd Eastham)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.