Obama promete que não haverá mais guerras, só se muito necessário

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, homenageou os veteranos nesta segunda-feira, observando "a luz de um novo dia" ao ter as tropas norte-americanas de volta do Iraque e retornando em breve do Afeganistão e prometendo não enviar soldados para uma guerra sem uma necessidade clara.

REUTERS

28 Maio 2012 | 15h58

Obama não mencionou a tensão com o Irã e a Síria em suas declarações aos veteranos e às famílias dos militares durante uma cerimônia do Memorial Day em um dia quente e ensolarado, centrando o foco nas guerras iniciadas pelo seu antecessor, George W. Bush, que ele finalizou como presidente.

"Depois de uma década sob a nuvem escura da guerra, podemos ver a luz de um novo dia no horizonte", disse ele no Cemitério Nacional de Arlington, arrancando aplausos quando observou o marco de ser o primeiro Memorial Day em nove anos sem norte-americanos lutando e morrendo no Iraque.

"Como comandante-geral, posso lhes dizer que colocar nossos soldados em perigo é a decisão mais sofrida que eu tenho de tomar", disse Obama pouco depois de depositar uma coroa de flores no túmulo do soldado desconhecido.

"Eu prometo que nunca farei isso, a menos que seja absolutamente necessário e quando o fizermos, precisamos dar às nossas tropas uma missão clara e o apoio pleno de uma nação agradecida."

Mais tarde nesta segunda-feira, Obama participará de uma cerimônia no Memorial aos Veteranos do Vietnã, em Washington.

(Reportagem de Jeff Mason)

Mais conteúdo sobre:
EUAOBAMAMEMORIALDAY*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.