Jason Reed/Reuters
Jason Reed/Reuters

Obama promulga nova lei de empregos

Cálculos mais otimistas preveem 250.000 novos postos de trabalho com medida

Associated Press,

18 de março de 2010 | 19h10

O presidente Barack Obama sancionou nesta quinta-feira, 18, um pacote de benefícios fiscais e subsídios com o objetivo de fomentar a criação de empregos nos Estados Unidos. A nova lei foi aprovada no Senado com 11 votos republicanos e 57 votos democratas.

 

Veja também:

especialEspecial: Dez momentos do governo Obama

linkPerto de acordo, Câmara dos EUA deve votar reforma na saúde no domingo

linkObama apresenta reforma da saúde na Fox News após criticar rede 

 

Em uma cerimônia na Casa Branca, Obama disse que a lei ajudará o setor privado a contratar trabalhadores. Esta é a primeira de uma série de medidas anunciadas pelos democratas para aumentar o número de empregos. O presidente disse que ela é "essencial, mas de modo algum suficiente".

 

A lei inclui benefícios de US$ 18 bilhões e programas de subsídio de US$ 20 bilhões.

 

O ceticismo a respeito da criação real de postos de trabalho, no entanto, continua. Os cálculos mais otimistas dizem que o pacote geraria 250.000 novos empregos, um pequeno número em comparação aos 8,4 milhões perdidos desde o começo da recessão econômica, em 2008.

 

"Precisamos fazer muito mais para fomentar a contratação no setor privado e conseguir a recuperação econômica", disse o presidente.

 

O setor mais beneficiado com a legislação, segundo Obama, serão as pequenas empresas. "Muitas delas estão agora à espera para decidir se contratam um ou dois trabalhadores a mais, ou se ampliam seu quadro de funcionários", afirmou Obama, "Esta lei deverá facilitar essa decisão".

 

De acordo com a nova lei, as empresas que contratarem uma pessoa desempregada ao menos por 60 dias serão isentas de pagar 6,2% do imposto da segurança social até o fim do ano.

 

A medida também concede aos empresários um subsídio adicional de US$ 1000 se o trabalhador permanecer no emprego durante um ano. A Segurança Social será compensada pela perda pelo resto dos contribuintes.

 

Além disso, o pacote abre uma isenção fiscal para a pequena empresa que comprar equipamentos novos e for ampliada.

Tudo o que sabemos sobre:
Barack ObamaleiempregosSenado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.