Obama propõe reforma nas leis trabalhistas dos EUA

Após assegurar indicação, candidato democrata à Presidência critica republicanos e se aproxima dos sindicatos

Associated Press,

04 de junho de 2008 | 15h18

O virtual candidato democrata à Presidência dos Estados Unidos Barack Obama prometeu nesta quarta-feira, 4, que reformará as leis trabalhistas para facilitar a sindicalização dos trabalhadores. Em um pronunciamento via satélite na convenção da União Internacional dos Trabalhadores (SEIU), um dos sindicatos mais importantes dos EUA e que realiza seu encontro anual em Porto Rico, Obama assegurou que seu governo tratará com respeito todos os funcionários.   Veja também: Obama ataca o Irã e defende Israel Próximo passo é definir papel de Hillary Casal Clinton não perde influência Bush parabeniza Obama por indicação Cronologia da disputa entre Hillary e Obama Conheça a trajetória dos candidatos Cobertura completa das eleições nos EUA  Confira a disputa em cada Estado     "Todos os trabalhadores devem ser tratados com o respeito que merecem. Eles (os republicanos) não crêem nos sindicatos, mas nós temos uma mensagem para eles: nós acreditamos nos trabalhadores", anunciou.   O senador, que na terça-feira conseguiu a histórica nomeação presidencial por um dos principais partidos dos EUA como o primeiro afro-americano a concorrer, destacou seus vínculos os sindicatos.   "Não foi a política que me levou aos trabalhadores; os trabalhadores que me levaram à política", disse, em uma mensagem que foi fortemente aplaudida pelos membros da SEIU. O democrata também prometeu fazer justiça aos funcionários, assegurando que todos paguem "contribuições apropriadas" segundo seu trabalho.   Apoio   Um dos principais líderes da SEIU, Denis Rivera, antecipou que o sindicato e seus membros farão uma campanha massiva nos Estados Unidos para que Obama se torne o primeiro presidente negro do país.   A associação aprovou uma resolução para utilizar o fundo de ação política do sindicato para a campanha, que incluirá visitas a comunidades, anúncios na imprensa, envio de cartas e e-mails, além da mobilização de eleitores no dia da votação.   Durante sua mensagem, Obama anunciou que o diretor de sua campanha será um membro da SEIU, cujo nome não foi revelado.

Tudo o que sabemos sobre:
Barack Obamaeleições nos EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.