Obama quer agência de proteção financeira ao consumidor

O presidente Barack Obama disse neste sábado que não aceitará um "não" como resposta sobre sua indicação para liderar uma nova agência de vigilância do consumidor, apesar de os republicanos prometerem que vão vetá-la.

REUTERS

10 de dezembro de 2011 | 17h59

Obama nomeou o ex-procurador geral de Ohio general Richard Cordray para liderar a nova Agência de Proteção Financeira do Consumidor. Mas os republicanos prometem vetar a indicação até que mudanças sejam feitas no modo de operar da agência.

Obama disse que uma agência do consumidor era necessária para evitar que Wall Street se aproveite de Main Street.

"Vejam, por tempo demais as regras em Wall Street não foram as mesmas das de Main Street", disse Obama em seu discurso semanal no rádio e online.

"Apostas arriscadas foram feitas com o dinheiro das outras pessoas. Algumas pessoas fizeram muito dinheiro tirando vantagem dos consumidores. Foi errado", disse ele. "E esse comportamento irresponsável da parte de alguns contribuiu para a pior crise financeira desde a Grande Depressão."

Democratas no Congresso dizem que não têm intenção de se comprometer, mesmo que isso signifique que a agência ficará sem um líder até depois das eleições de 2012.

"Portanto eu me recuso a aceitar 'não' como resposta. As instituições financeiras têm um monte de advogados e lobistas poderosos para cuidar delas", disse Obama. "É hora de os consumidores terem alguém do lado deles."

(Reportagem de Tabassum Zakaria)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAOBAMAAGENCIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.