Filip Singer/Efe
Filip Singer/Efe

Obama questiona críticas de Sarah Palin a sua estratégia nuclear

Presidente afirmou que republicana não é uma 'expert' em questões nucleares

08 de abril de 2010 | 21h22

Reuters

 

O presidente Barack Obama deixou claro nesta quinta-feira, 8, que não iria dar ouvidos a conselhos da republicana Sarah Palin sobre decisões a respeito do arsenal nuclear norte-americano.

 

Veja também:

linkEUA e Rússia firmam acordo para reduzir armas nucleares

 

Palin, ex-candidata a vice-presidência, criticou as políticas nucleares de Obama, ao afirmar que elas são como uma criança em um playground que dize "me acertem na cara, eu não vou revidar".

 

"Eu realmente não tenho respostas para isso. Até onde sei, Sarah Palin não era lá uma expert em assuntos nucleares", disse Obama em uma entrevista ao canal ABC.

 

Pressionado por republicanos que afirmaram que sua estratégia reduz o uso de armas nucleares exageradamente, o presidente acrescentou: "O que eu diria a eles é que, se o secretário de Defesa e o presidente do Estado Maior Conjunto estão satisfeitos com ela, eu provavelmente serei pautado por eles, e não por Sarah Palin."

 

Na terça-feira, os Estados Unidos anunciaram uma nova estratégia de defesa que restringe o uso de seu arsenal nuclear e coloca como prioridade a prevenção da proliferação e do que chamam de "terrorismo nuclear".

 

Nesta quinta-feira, Obama e o presidente da Rússia, Dmitry Medvedev, assinaram, em Praga, capital da República Tcheca, o acordo bilateral de redução de seus arsenais de armas nucleares mais significativo em 20 anos.

 

O novo Start estabelece que a redução ocorrerá ao longo de sete anos e que cada parte limitará o seu número de ogivas nucleares a 1.550. O novo teto é cerca de 30% menor que o de 2,2 mil ogivas previsto pelo acordo antigo de redução nuclear russo-americano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.