Obama rebate críticas a controle de vazamento de petróleo--mídia

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, acusou seus oponentes no Congresso de usarem dois pesos e duas medidas depois de terem criticado o governo por não ter tomado maior controle do vazamento de petróleo no Golfo do México, de acordo com a agência de notícias norte-americana Politico.

REUTERS

12 de junho de 2010 | 11h36

"Acho justo dizer que, se seis meses atrás eu tivesse ido ao Congresso e dito a eles que precisamos ser mais duros com as petrolíferas e precisamos gastar mais dinheiro com tecnologia para evitar um vazamento catastrófico, algumas das pessoas lá, sem citar nomes, diriam que esse é um caso típico de gasto desnecessário e de excesso de regulamentação," disse Obama, em entrevista ao veículo.

Obama, que está sendo criticado por não ter tomado mais ações para interromper o vazamento de um poço de petróleo da britânica British Petroleum, fez o comentário dias antes de uma nova rodada de inquéritos no Congresso com executivos de petrolíferas. Obama vai se reunir com o presidente da BP, Tony Hayward, em Washington na quarta-feira.

"Algumas das pessoas que estão gritando 'faça alguma coisa' são as mesmas que, há apenas três meses, estavam sugerindo que o governo precisa parar de fazer tanto," acrescentou Obama.

(Reportagem de Roberta Rampton)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAVAZAMENTOOBAMA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.