Obama recebe policial e professor para cerveja na Casa Branca

Acadêmico negro foi detido por branco quando tentava entrar em casa; presidente chamou ação de 'estúpida'

Associated Press,

30 de julho de 2009 | 20h11

 

WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, recebeu na Casa Branca nesta quinta-feira, 30, os dois homens que estiveram no centro de uma polêmica racial no país nos últimos dias: o professor de Harvard Henry Louis Gates Jr. e o policial da cidade de Cambridge, sargento James Crowley.

 

Obama convidou os dois para tomar uma cerveja. O vice-presidente dos EUA, Joe Biden, se juntou aos três no encontro, realizado perto do Jardim das Rosas da Casa Branca. Obama tenta amenizar um comentário que causou polêmica. No sábado, ele admitiu que não fez uma boa escolha de palavras ao dizer que o policial branco que prendeu o professor negro agiu "de forma estúpida."

 

Gates, amigo de Obama, foi detido no último dia 16, quando voltava de uma viagem ao exterior e encontrou a porta de sua casa, em Massachusetts, travada e a forçou. Uma mulher viu a cena, achou que fosse um ladrão e chamou a polícia. Após uma discussão, Crowley deu voz de prisão ao acadêmico, que depois foi solto.

 

"Existe neste país um longo histórico de prisões arbitrárias de negros e latinos pela polícia", afirmou Obama, em um comentário que depois ele diz ter se arrependido de ter feito. A posição do presidente reacendeu o debate sobre racismo nos EUA e foi rejeitada pelos policiais de Cambridge.

 

Crowley afirmou que não fez nada errado e foi Gates quem usou palavrões no momento da ação policial. "Ele (Obama) precisava primeiro saber de todos os fatos antes de fazer qualquer comentário", disse o sargento. Para evitar que a polêmica se prolongasse, o presidente resolveu recuar.

Tudo o que sabemos sobre:
Barack ObamaEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.