Obama recomenda a escoteiros que derrubem veto a gays

O presidente dos EUA, Barack Obama, disse no domingo que os Boy Scouts of America (corpo de escoteiros dos EUA) deveriam eliminar a proibição à participação de homossexuais, uma regra antiga e polêmica, que será submetida a votação nesta semana.

JEFF MASON, Reuters

04 de fevereiro de 2013 | 11h20

Obama, que incluiu uma defesa aos direitos dos homossexuais no seu discurso de posse para o segundo mandato, em janeiro, foi questionado sobre o tema durante entrevista à CBS, e disse ser favorável ao fim da proibição.

"Minha atitude é de que... gays e lésbicas deveriam ter acesso e oportunidade da mesma forma que todos os demais, em todas as instituições e modos de vida", afirmou o presidente.

"Os escoteiros são uma grande instituição, promovendo os jovens e expondo-os, sabe, a oportunidades e liderança que servirão às pessoas pelo resto das suas vidas, e acho que ninguém deveria ser barrado nisso."

Após críticas de ativistas e de homossexuais que foram escoteiros ou chefes da instituição, o conselho-executivo do escotismo norte-americano deve votar o fim da proibição na quarta-feira, quando termina sua reunião de três dias. A proibição à participação de homossexuais havia sido reafirmada no ano passado.

No mês passado, a entidade havia dito que cogitava extinguir a proibição em nível nacional, deixando às suas organizações locais as decisões sobre as políticas relacionadas à orientação sexual de seus integrantes jovens e adultos.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAOBAMAESCOTEIROSGAYS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.