J. Scott Applewhite/AP
J. Scott Applewhite/AP

Obama se diz preocupado com vazamentos sobre guerra ao Taleban

Segundo presidente, informações são antigas e levaram à nova estratégia de guerra

Efe

27 de julho de 2010 | 15h08

WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, se declarou hoje "preocupado" pelo vazamento de cerca de 91 mil documentos secretos sobre a guerra do Afeganistão ao site "WikiLeaks".

Veja também:

blog Chacra: Maior aliado dos EUA ajuda o Taleban

lista  Leia a íntegra no Wikileaks  (Em inglês)

Em uma breve declaração à imprensa no jardim da Casa Branca, depois de uma reunião com dirigentes do Congresso americano, Obama disse estar "preocupado com as divulgações de informações sensíveis pelo 'WikiLeaks'".

No entanto, minimizou a importância das revelações, ao indicar que as informações são antigas e só contêm "os mesmos desafios que nos levaram a iniciar uma nova estratégia", em dezembro.

"Por isso, aumentamos nosso compromisso" com a guerra e as tropas, que o presidente aumentou em 30 mil soldados desde a adoção da nova estratégia.

Segundo Obama, "é necessário levar bem" essa estratégia, pois só assim a guerra, que em outubro completará 10 anos, poderá ser concluída com sucesso.

Obama aproveitou também para pedir que a Câmara de Representantes aprove o projeto de lei orçamentário que concede novos fundos à guerra, na votação prevista para hoje.

Veja também:

linkEUA investigam analista de inteligência

linkVazamento põe pressão sobre estratégia de Obama

linkDocumentos têm pistas sobre Bin Laden

Reprodução de um dos arquivos vazados ao Wikileaks

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.