Obama tem primeiro encontro com papa Bento XVI

'Tenho certeza de que o senhor está habituado com fotografias... eu também', diz presidente ao pontífice

Efe,

10 de julho de 2009 | 12h46

Foto: AP

 

VATICANO - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, foi recebido nesta sexta-feira, 10, no Vaticano pelo papa Bento XVI. No encontro, o primeiro do chefe de Estado Americano com o pontífice, Obama disse que a cúpula do G8 (os sete países mais industrializados e a Rússia), realizada na cidade italiana de Áquila, foi "muito produtiva", já que nela foram definidas "ajudas para os países pobres".  Obama disse ainda que tentará limitar o número de abortos nos EUA, informou o porta-voz do Vaticano.

 

Veja também:

Viagem de Obama a Gana frustra africanos 

'Não esperaremos indefinidamente' pelo Irã, adverte Obama

 

O porta-voz do Vaticano disse que o papa confirmou que Obama se comprometeu explicitamente em fazer o possível para reduzir o número de abortos nos EUA. Eles se reuniram por cerca de 40 minutos, quando discutiram questões de política internacional, como Oriente Médio, América Latina, imigração, narcotráfico e bioética, um dos temas mais delicados.

 

A reunião provocou grande expectativa, já que alguns ativistas católicos e americanos criticaram Obama por sua posição sobre aborto e pesquisas com células tronco. Ainda assim, o presidente americano recebeu a maioria dos votos dos católicos. A vitória de Obama representou um desafio para o Vaticano após os oito anos de opiniões em comum com o ex-presidente George W. Bush, que era contra o aborto, tema que os aproximou apesar da oposição do Vaticano sobre a guerra no Iraque.

 

"Santidade, é uma honra para mim estar aqui", disse Obama, recebido pelo papa com um cordial apertão de mão na sala anexa à Biblioteca Privada, local da audiência. Uma vez sentados um de frente para o outro, Bento XVI perguntou a Obama sobre a cúpula do G8, concluída horas antes. O presidente americano, sempre sorrindo, disse: "Foi muito produtiva. Decidimos ajudas aos países pobres".

 

Depois, os dois brincaram sobre o grande número de fotógrafos presentes na sala para registrar o encontro. "Tenho certeza de que o senhor está acostumado a ser fotografado. Eu também estou", comentou Obama. Logo em seguida, os fotógrafos, cinegrafistas e jornalistas abandonaram a Biblioteca Privada. As portas foram fechadas e a reunião começou, com a participação de dois intérpretes.

 

Foto: AP

 

Protegido por um forte esquema de segurança e acompanhado por uma comitiva de 17 pessoas, Obama chegou ao Vaticano às 16h (11h de Brasília). Cerca de uma hora antes da chegada de Obama, chegaram ao Vaticano a primeira-dama americana, Michelle, as duas do casal e avó materna destas. As quatro visitaram a Basílica de São Pedro, a cripta onde estão enterrados os papas e a Capela Sistina.

 

Ao término da audiência, o papa presenteará Obama com uma cópia assinada da última encíclica, "Caritas in Veritate", e com um mosaico da Praça de São Pedro e da basílica vaticana. Já Obama dará de presente ao pontífice uma estola de São João Nepomuceno Neumann, padroeiro das crianças doentes e dos imigrantes.

Tudo o que sabemos sobre:
Barack ObamaEUABento XVI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.