Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Obama tenta atrair apoio da população para reforma na saúde

Presidente diz que preço dos planos de saúde privado são abusivos e que empresas só visam o lucro

Associated Press,

08 de março de 2010 | 13h58

O presidente americano, Barack Obama, voltou ao defender sua proposta de reforma no sistema de saúde do país ao dizer nesta segunda-feira, 8, que o preço dos planos de saúde nos EUA são abusivos.

 

Em um discurso na Pensilvânia, Obama disse que as companhias de seguro decidiram ganhar dinheiro negando cobertura para alguns e elevando benefícios para outros. Segundo o presidente, as empresas continuaram abusando dos americanos enquanto puderem.

 

"Quanto mais os preços têm de subir para que façamos alguma coisa", perguntou o presidente. "Os republicanos tiveram 10 anos? O que fizeram? O que aconteceu", disse na Universidade de Arcádia.

 

As próximas semanas serão decisivas para a aprovação da reforma no Congresso. Duas versões distintas já passaram na Câmara e no Senado já foram aprovadas, mas elas precisam ser unificadas. No começo do ano, o partido Democrata perdeu a supermaioria de 60 assentos no Senado, o que pode dificultar a aprovação da lei, a principal proposta da agenda doméstica de Obama.

Tudo o que sabemos sobre:
Obamareforma na saúde

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.