AP
AP

Obama visita áreas devastadas por incêndio no Colorado

Presidente dos EUA considerou o incêndio que deixou 25 mil desabrigados como um 'grande desastre'

Reuters

29 de junho de 2012 | 19h40

COLORADO SPRINGS - O presidente dos EUA, Barack Obama, qualificou na sexta-feira, 29, de "grande desastre" o incêndio que destruiu 347 casas e deixou até 35 mil desabrigados no Colorado.

Veja também:

link Pior incêndio na história do Colorado faz 1a vítima

link Incêndio faz 32 mil deixarem região no Colorado

Obama visitou a região atingida e, antes de pousar, sobrevoou parte das Montanhas Rochosas, onde era possível ver focos de fumaça. Autoridades dizem que esse é o incêndio mais devastador na história do Estado, e que pelo menos duas pessoas morreram.

O incêndio atingiu na terça-feira à noite comunidades no canto noroeste de Colorado Springs, segunda maior cidade do Estado, e chegou a ameaçar uma academia da Força Aérea na cidade.

Na tarde de sexta-feira, a redução dos ventos contribuía para o trabalho dos bombeiros, mas apenas 15 por cento do incêndio já havia sido contido. Fotos aéreas mostraram quarteirões inteiros carbonizados, ao lado de outras casas praticamente intactas.

"Este tem sido um começo de temporada de incêndios devastador para o Colorado. Esta comunidade, obviamente, está de coração partido pela perda de lares", disse Obama a jornalistas ao percorrer uma rua entre casas destruídas. "Temos sorte, por causa da ação rápida que foi feita, de não termos tido muitas perdas de vidas." As autoridades disseram que, além das 347 casas destruídas, mais de 20 mil outras continuam ameaçadas pelas chamas.

O chefe de polícia de Colorado Springs disse que um corpo carbonizado foi encontrado nos destroços de uma moradia. No final do dia, mais um corpo foi achado. Durante toda a temporada de incêndios, houve seis mortes no Colorado, que o governador local declarou ser a pior de todos os tempos.

As autoridades disseram que há menos de dez pessoas desaparecidas, sendo duas na mesma residência onde o corpo foi encontrado.

O número de imóveis destruídos pelo chamado Incêndio do Cânion Waldo já supera as 257 casas queimadas por um incêndio anterior, muito maior, que ocorreu ao norte de Denver, também no Colorado.

Em todo o território dos EUA, mais de 40 grandes incêndios florestais estão sendo combatidos, a maioria dos quais concentrados em dez Estados do oeste -Colorado, Montana, Wyoming, Utah, Idaho, Dakota do Sul, Arizona, Novo México, Nevada e até o Havaí, segundo o Centro Nacional Interdepartamental de Incêndios.

Obama anunciou a liberação de verbas federais para agências locais e indivíduos atingidos pelo incêndio no Colorado. Embora o alerta vermelho que vigorava desde o início dessa emergência tenha sido suspenso, o clima continua sendo de muita raiva e frustração entre os estimados 35 mil desabrigados.

"Você não tem autoridade para me manter fora da minha casa", disse o militar reformado David Dougherty, 45 anos, durante uma entrevista coletiva. "Entendo que eles estejam tentando salvar vidas, mas alguns de nós não precisamos ser salvos."

Dougherty disse acreditar que sua casa não tenha sido queimada, e acrescentou que deseja voltar para cuidar dos seus bens. A polícia relatou pelo menos duas prisões de saqueadores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.