Obama:EUA devem ratificar tratado de não proliferação nuclear

Para americano, cada vez mais nações têm acesso a estas armas, testes continuam e comércio é crescente

AE-AP,

05 de abril de 2009 | 10h05

Foto: Srdjan Suki/Efe

PRAGA- Milhares de pessoas se reuniram na manhã deste domingo, 5, em uma praça central de Praga (República Checa) para ouvir o discurso do presidente americano, Barack Obama, que viajou ao país para a reunião da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

Obama disse que a Coreia do Norte mais uma vez violou as regras internacionais ao realizar, mais cedo, o lançamento de um míssil sobre o Japão. "É hora de uma forte resposta internacional e a Coreia do Norte precisa saber disso", disse, acrescentando, porém ser a favor de uma solução diplomática: "Acreditamos no diálogo."

O presidente disse que trabalhará para que os Estados Unidos ratifiquem o Tratado de Não Proliferação de Armas Nucleares. "Cada vez mais nações têm acesso a estas armas, os testes continuam e o comércio é crescente. Precisamos lutar por um regime de não proliferação."

Segundo ele, a existência de milhares de armas nucleares foi a pior herança deixada pela Guerra Fria. "Uma única bomba nuclear, detonada em qualquer cidade do planeta, pode matar milhares de pessoas, e queremos que as pessoas vivam sem medo no século 21", disse, sendo fortemente aplaudido neste momento. O presidente adiantou que os EUA sediarão no próximo ano um encontro internacional sobre segurança nuclear.

Obama exortou os europeus a se unirem com os EUA para enfrentar os problemas globais: "O mundo está menos dividido e mais interligado. Devemos ouvir uns aos outros e trabalhar juntos para resolver os problemas".

Sobre a crise internacional, declarou-se contra o protecionismo e a favor de mudanças que deem transparência ao sistema: "Precisamos de novas regras no sistema financeiro para evitar novos abusos e crises futuras". Afirmou ainda que os EUA estão prontos para liderar o mundo no combate ao aquecimento global: "É hora de mudarmos a forma como usamos a nossa energia. Devemos usar novas fontes, como o sol e o vento."

Tudo o que sabemos sobre:
Armas nuclearesObama

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.