OEA enviará missão ao Haiti para revisar resultados eleitorais

Técnicos e analistas eleitorais que viajarão para o país serão liderados por Colin Granderson, chefe da missão de observação conjunta OEA-Caricom

Efe,

30 de dezembro de 2010 | 03h16

A Organização dos Estados Americanos (OEA) enviará uma missão ao Haiti para investigar os questionados resultados das eleições presidenciais e legislativas de 28 de novembro, confirmaram fontes do organismo à Agência Efe.

O grupo de técnicos e analistas eleitorais que viajará para o Haiti será liderado por Colin Granderson, chefe da missão de observação conjunta OEA-Caricom, indicaram as mesmas fontes, que não precisaram o tempo em que a missão ficará no país caribenho.

A delegação da OEA deverá entregar um relatório final com sua avaliação a respeito dos resultados eleitorais, cuja ratificação estava prevista para 20 de dezembro.

Uma crise foi iniciada no Haiti assim que os resultados preliminares do pleito foram divulgados, em violentos distúrbios que deixaram pelo menos quatro pessoas mortas.

Segundo os dados oficiais, a vencedora do primeiro turno das eleições é a ex-primeira-dama Mirlande Manigat, que obteve 31,37% dos votos, contra 22,48% do governista Jude Celestin.

Se os resultados forem confirmados, o candidato e cantor Michel Martelly, que somou 21,84% dos votos, ficaria de fora do segundo turno, previsto para 16 de janeiro.

Tudo o que sabemos sobre:
OEAMissãoHaitiCaricom

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.