Oklahoma permite abate de cavalos para consumo da carne

- O Estado norte-americano do Oklahoma deu um passo na sexta-feira no sentido de permitir que proprietários de animais matem cavalos como alimentos, depois de a governadora assinar um projeto que regulariza a prática. Contudo, as instalações de processamento precisam ser autorizadas pelo governo federal.

Reuters

30 de março de 2013 | 12h38

A ação da governadora Mary Fallin legaliza o abate de cavalos para que a sua carne seja preparada e embalada para exportação. Contudo, os proprietários que desejarem utilizar a lei precisarão obter uma autorização do Departamento de Agricultura dos EUA, informou Fallin.

O abate de cavalos com fins alimentícios era ilegal no Oklahoma desde 1963 e só era realizado no Texas e em Illinois até uma proibição do Congresso em 2006. O banimento caiu em 2011.

Fallin disse que as instalações de abate no Oklahoma usarão práticas mais humanas do que aquelas no México, porque serão inspecionadas por autoridades federais.

A carne de cavalo foi pivô de um escândalo que surgiu na Europa em janeiro, quando testes realizados na Irlanda revelaram que alguns produtos vendidos como carne bovina continham DNA equino.

A Sociedade Humana dos EUA e ativistas dos direitos dos animais foram contrários à nova lei do Oklahoma, enquanto os favoráveis dizem que a mudança preserva o direito à propriedade privada e beneficiará os donos de cavalos.

(Reportagem de Steve Olafson)

Tudo o que sabemos sobre:
EUACARNEPCAVALO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.