Onda de calor mata 41 nos Estados Unidos nos últimos dias

Consumo de eletricidade bate recordes com ar condicionado; fim de semana deve 'aliviar' situação

Associated Press,

17 de agosto de 2007 | 19h27

Americanos no Sul e no meio Oeste têm esperanças de que o final de semana traga algum alívio ao brutal calor que matou mais de três dezenas de pessoas e levou a recordes no consumo de eletricidade, por causa do uso excessivo de aparelhos de ar condicionado. No total, já foram confirmadas 41 mortes causadas pelo calor no Sul e Meio Oeste dos Estados Unidos nos últimos dias. A previsão do tempo espera que as temperaturas em Memphis e outras regiões do Vale do Mississippi tenham queda nesta sexta-feira, para os 30 graus centígrados, um alívio após vários dias mais quentes. No Tennessee, o escritório médico do condado de Shelby confirmou nesta sexta-feira que o calor matou uma mulher de 77 anos, encontrada morta na sua casa um dia antes. A morte elevou a nove o total de óbitos causados pelo calor em Shelby. A Autoridade Elétrica do Vale do Tennessee fechou uma das três usinas nucleares am Athens, no Alabama, porque a temperatura da água retirada do rio Tennessee excedia os 32 graus centígrados. "Quase não acreditamos que fomos obrigados a fechar uma usina nuclear por causa da temperatura da água do rio," disse John Moulton, porta-voz da empresa, sediada em Knoxville, no Tennessee. O fechamento não oferece riscos de segurança mas ocorre em meio a um pico no consumo de energia que já dura duas semanas, em uma área que inclui o Tennessee, parte do Alabama, Mississippi, Kentucky, Georgia, Carolina do Norte e Virginia. A empresa compensará a menor produção de energia elétrica comprando eletricidade de outras regiões. Na região centro norte do Arkansas, as temperaturas chegaram a 44 graus centígrados na quarta-feira em uma localidade chamada Evening Shade. Médicos dos serviços de emergência alertam que o calor excessivo pode provocar náuseas, vertigem, dores de cabeça e vômitos até em pessoas saudáveis. Esses sintomas são os primeiros sinais de exaustão provocada por calor. Sem não for tratada, a exaustão, que inclui um quadro de desidratação, por levar a um ataque cardíaco. Um febre de 38 graus, especialmente em pessoas idosas, é motivo de preocupação. Uma febre de 39,5 graus é considerada uma emergência.  Nove mortes por causa do calor foram confirmadas no Missouri; oito em Illinois; quatro no Arkansas; quatro na Georgia; três no Alabama; duas na Carolina do Sul e uma no Mississippi. No verão passado, uma onda de calor matou pelo menos 50 pessoas no Leste e no Meio Oeste. Foram reportadas, oficialmente, 143 mortes no Estado da Califórnia, mas autoridades reconheceram, no mês passado, que o número de mortes foi maior. Em 1995, uma onda de calor foi culpada por ter matado 700 pessoas em Chicago.

Tudo o que sabemos sobre:
Estados UnidosOnda de calor

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.