Onda de calor se espalha pelos Estados Unidos e ao menos 22 morrem

Altas temperaturas - que chegam a 40º - podem afetar até metade da população americana, diz especialista

BARBARA GOLDBERG, REUTERS

21 de julho de 2011 | 17h45

Pessoas em piscina de hotel em Nova York; temperaturas podem atingir recorde

 

NOVA YORK - Uma multidão lotou piscinas, rios e lagos na costa leste e no meio-oeste dos Estados Unidos nesta quinta-feira, 21, para escapar da forte onda de calor que já matou ao menos 22 pessoas nesta semana.

 

Veja também:

blog FOTO DO DIA: Garoto se refresca perto da ponte do Brooklyn 

O Serviço Meteorológico Nacional dos EUA emitiu alertas sobre o calor excessivo para grandes áreas nas regiões central e leste do país, afirmando que a combinação do calor com alta umidade pode elevar a sensação térmica a 46 graus Celsius até sábado.

 

Na noite de quinta-feira em Nova York, os termômetros atingiram 33 graus Celsius, com a sensação térmica de 44 graus Celsius, de acordo com o site AccuWeather.com.

Capacidade esgotada

 

Com a promessa de uma brisa marítima, os navios que saem de Boston para observar baleias e os barcos turísticos de alta velocidade ficaram com suas capacidades esgotadas durante a manhã.

Centros de resfriamento em Richmond, Virginia e Nova York receberam moradores sofrendo com o calor, e um caminhão com a inscrição "Fonte de Água Móvel" atravessou as ruas de Manhattan oferecendo água para manter as pessoas hidratadas.

 

Até o fim de semana, a onda de calor pode cobrir metade dos Estados Unidos e afetar quase 50 por cento dos 310 milhões de habitantes do país, segundo a meteorologista do AccuWeather.com Mary Yoon. "O que faz essa onda de calor tão impressionante é o tamanho e a duração", disse Yoon.

Tudo o que sabemos sobre:
EUACLIMACALORMORTE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.