ONU critica EUA por tratamento a menores em Guantánamo

Orgão diz que menores presos quando ainda eram crianças devem ser considerados vítimas

Agência Estado e Associated Press,

06 de junho de 2008 | 15h05

O Comitê pelos Direitos das Crianças criticou os Estados Unidos por acusarem detentos de Guantánamo que foram presos quando ainda eram menores de idade. Segundo a entidade, os detentos deveriam ser considerados vítimas, pois haviam sido recrutados para lutar ainda crianças. Veja também:Na Islândia, Condoleezza Rice defende GuantánamoAnistia condena '60 anos de fracasso' em direitos humanos Funcionários norte-americanos informaram que dois homens detidos ainda quando eram menores de idade permaneciam na base. Omar Khadr e Mohammed Jawad são acusados por homicídio e tentativa de homicídio, respectivamente, durante ataques às tropas dos EUA, em 2002. O comitê da ONU fez as críticas em relatório publicado nesta sexta-feira, 6. O órgão demonstrou preocupação também com o número de menores mantidos presos pelos EUA no Iraque e no Afeganistão.

Mais conteúdo sobre:
GuantánamoEUAONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.