ONU e ONGs pedem ajuda a vítimas da Geórgia

A ONU e organizaçõesnão-governamentais humanitárias fizeram na segunda-feira umapelo conjunto por uma ajuda de 58,6 milhões de dólares para as128,7 mil vítimas do conflito na Geórgia. O dinheiro seria usado para oferecer alimentos, remédios,abrigo, água, saneamento e outros itens durante seis meses,segundo nota encabeçada pelo Escritório da ONU para aCoordenação de Assuntos Humanitários (Ocha, na sigla eminglês). A crise começou no dia 7, quando a Geórgia mobilizou tropaspara tentar retomar o controle da Ossétia do Sul, regiãoseparatista e etnicamente diversa que desde a década de 1990goza de autonomia sob proteção russa. Moscou reagiu enviandoocupando militarmente a Ossétia do Sul e parte da Geórgiapropriamente dita. As verbas solicitadas apoiariam 9 agências da ONU e 16ONGs. Agentes humanitários se queixam de dificuldades de acessoaos necessitados, que além do mais estão muito espalhados. "Além de pessoas desabrigadas, continuamos seriamentepreocupados com o drama de outras populações afetadas -- muitasdas quais ainda temos de alcançar e avaliar a amplitude dassuas necessidades", disse Catherine Bragg, vice-diretora daOcha. "Embora a fase mais aguda da violência pareça ter passado,até que haja uma paz firme no país precisamos estar preparadospara reagir a uma situação humanitária crítica e flutuante". Bragg lembrou que doadores já prometeram 23 milhões dedólares. O Acnur (órgão da ONU para refugiados) começou a levarajuda por via aérea, e no domingo o primeiro comboio chegou àcidade georgiana de Gori, que está sob ocupação russa. Antonio Guterres, alto-comissário da ONU para refugiados,deve passar de terça a sexta-feira visitando a Geórgia eRússia. (Reportagem de Patrick Worsnip)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.