Preston Mack/Efe
Preston Mack/Efe

Orca mata treinadora em parque aquático da Flórida

Animal já havia causado dois acidentes anteriormente; treinadora era uma das mais experientes do Seaworld

Reuters e Associated Press,

24 de fevereiro de 2010 | 19h50

Uma orca matou uma treinadora do parque SeaWorld, em Orlando, na Flórida nesta quarta-feira, 24, durante o início de uma apresentação, em frente a um público horrorizado. A audiência foi rapidamente retirada do estádio, e o parque foi fechado. Esta foi a terceira vez que o animal se envolveu na morte de uma pessoa. 

Há versões conflituosas sobre o ataque. Um membro da equipe de resgate disse que  Dawn Brancheau, de 40 anos, escorregou e caiu no tanque. Segundo ele, a treinadora, uma das mais experientes do parque, afogou-se.

 

Ele acrescentou que a treinadora já estava morta quando equipes de resgate chegaram e que a morte está sendo considerada como acidental. Ele não deu maiores detalhes.

 

O escritório do xerife local também confirmou a versão do empregado de que Brancheau escorregou, mas ao menos um espectador declarou que o animal pulou da água e agarrou a mulher.

 

Veículos da mídia americana disseram que a orca do parque Shamu Stadium pegou a mulher pela cintura, agitou-a violentamente e levou-a para a água. O jornal citou um espectador que disse que a orca - também conhecida como baleia assassina - submergiu da água, pegou a treinadora pela cintura e que "estava agitando-a muito".

O parque na Flórida é de propriedade do Blackstone Group, que também detém parte do parque Universal Orlando.

Um porta-voz da SeaWorld em San Diego disse que as apresentações com orcas foram suspensas após a morte em Orlando. De acordo com a fonte, a orca envolvida no acidente, chamada Tillikum mas apelidada de "Tilly", tem um passado controverso.

 

A orca foi culpada pelo afogamento de um de seus treinadores em 1991, enquanto ela se apresentava no Sealand do Pacífico em Victoria.Vendida ao SeaWorld em 1992, o animal se envolveu em um segundo acidente, quando autoridades descobriram o corpo de um homem nu boiando em um tanque em julho de 1999.

 

Um empregado do parque disse que Tillikum era normalmente mantida isolada dos outros animais e que treinadores não eram autorizados a entrar na água com ela por causa de seu histórico violento.

 

O ataque desta quarta foi o segundo em dois meses em que uma treinadora de orcas foi morta em um parque marítimo. Em 24 de dezembro, Alexis Martinez Hernandez caiu em um tanque no Loro Parque, na ilha espanhola de Tenerife, e suas costelas foram esmagadas. Oficiais disseram que a orca de 14 anos, chamada Keto, fez movimentos mais bruscos do que os dois praticavam durante brincadeiras. A orca levantou Hernandez e o arremessou para cima.

 

Em um comunicado oficial, o parque SeaWorld afirmou que uma investigação foi instaurada para identificar a causa da morte da treinadora. A administração do parque afirmou ter diversos detalhes sobre o caso, mas que só os compartilhará "no momento correto".

 

O comunicado lamenta o acidente e demonstra solidariedade à família e amigos da treinadora: "Iremos providenciar toda a assistência a eles nesse difícil momento".

 

Ainda de acordo com o comunicado,os parques SeaWorld Orlando (Flórida) e SeaWorld San Diego (Califórnia) serão abertos amanhã dentro da programação normal. Os shows com as orcas, no entanto, foram suspensos sem data prevista para retorno.

Tudo o que sabemos sobre:
SeaWorldOrlandoorcatreinadora

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.