Reuters
Reuters

Pais do 'garoto do balão' são condenados a prisão

Richard Heene terá que ficar 90 dias atrás da grades e Mayumi , mão do menino, vinte dias

Associated Press,

23 de dezembro de 2009 | 17h44

O casal que armou uma farsa que há dois meses atraiu a atenção de todo os meios de comunicação dos Estados Unidos, afirmando que seu filho pequeno poderia estar voando sozinho dentro de um balão, foram condenados e serão presos. Richard Heene foi condenado a 90 dias de prisão - mas durante 60 ele poderá trabalhar durante o dia, tendo que voltar para a prisão durante a noite. Sua mulher, Mayumi, terá que ficar 20 dias atrás das grades, após Richard ser solto.

 

O juiz também sentenciou que ao casal uma pena de quatro anos de liberdade provisória e os proibiu de obter qualquer tipo de lucro com o episódio durante esse tempo.

 

Richard Heene conteve suas lágrimas enquanto se desculpava, pedindo desculpas especialmente às equipes de resgate, que se apressaram para cuidar do caso após receberem o informe falso de que uma criança de seis anos voava no balão.

 

O Ministério Público americano afirmou que Richard "desperdiçou muitas horas de trabalho e muito dinheiro público para obter publicidade". O órgão alegou que era necessário punir com rigor as pessoas que querem se beneficiar com este tipo de ação, para assim demonstrar que serão penalizados por brincadeiras pesadas.

 

Agora, os promotores estão tratando de recuperar o dinheiro gasto na busca em falso. Eles dizem que o desperdício pode ter chegado aos US$ 50 mil.

Tudo o que sabemos sobre:
balãoRichard HeeneMayumi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.