Paquistão tem intimidado diplomatas americanos, diz 'NYT'

Segundo jornal, funcionários do governo não conseguem obter vistos; paquistaneses criticam 'arrogância'

estadao.com.br,

17 de dezembro de 2009 | 10h53

Autoridades do Exército e do Serviço Secreto do Paquistão têm intimidado diplomatas americanos no país, diz uma reportagem do jornal americano "The New York Times" publicada nesta quinta-feira, 17. De acordo com o diário, funcionários do departamento de Estado no país relatam uma 'campanha de assédio' por parte das autoridades paquistanesas.

Veja também:

link Oposição paquistanesa pede renúncia de presidente

Os problemas afetam adidos militares, agentes da CIA e diplomatas, segundo um alto membro da embaixada americana em Islamabad citado pelo "Times".

Helicópteros americanos usados pelo Paquistão para combater militantes islâmicos estão parados porque o visto dos mecânicos não foram aprovados, disse o diplomata. O financiamento para o programa antiterrorismo paquistanês também está congelado por causa de falta de visto para as autoridades responsáveis.

"Há um descompasso incrível entre o que eles querem de nós e o fato de nós não obtermos estes vistos", disse o diplomata.

Agentes paquistaneses reconhecem o problema, mas dizem que ele resulta de uma postura arrogante dos americanos. Um oficial paquistanês disse ao jornal que os americanos só trazem problemas. "Infelizmente, os americanos são arrogantes. Pensam que são onipotentes", disse.

O problema acontece depois de meses de aumento do sentimento antiamericano no país e de reclamações em setores do Exército, uma das instituições mais poderosas do país, que o governo do presidente Asif Ali Zardari é muito dependente do plano de ajuda americano que prevê US$ 7,5 bilhões ao país em cinco anos.

Tudo o que sabemos sobre:
PaquistãoEUAguerra ao terror

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.