Para Bush, relutância de países atrasa fechamento de Guantánamo

A relutância de alguns países emassumir a custódia de suspeitos de terrorismo detidos emGuantánamo está retardando a capacidade de Washington de fechara polêmica prisão, disse na quinta-feira o presidentenorte-americano, George W. Bush. "Já falei que deveria ser um objetivo da nação o fechamentode Guantánamo", afirmou Bush a jornalistas. "Também já deixeiclaro que parte da demora deve-se à relutância de alguns paísesem assumir de volta as pessoas detidas lá." Washington tem enfrentado fortes críticas ao redor do mundopela detenção na base naval em Cuba, sem acusação formal, desuspeitos de pertencer à milícia Taliban e à rede Al Qaeda. Os EUA mantêm 355 detidos em Guantánamo, criada paraabrigar prisioneiros capturados pelos EUA após os ataques de 11de setembro de 2001. O Pentágono disse que desse total, 80poderão ser soltos ou transferidos para outro país. Na terça-feira, a Grã-Bretanha pediu aos EUA que libertemcinco detidos de Guantánamo que eram residentes legais do paísantes de sua detenção.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.