Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Parlamento canadense estende missão no Afeganistão até 2011

Medida impõe a condição da Otan enviar mais mil soldados e equipamentos para o sul afegão

Agência Estado e Associated Press,

14 de março de 2008 | 15h00

O Parlamento do Canadá estendeu a missão das tropas do país no Afeganistão até 2011. A medida impõe a condição de a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) enviar mais tropas e equipamentos para o sul afegão.   Veja também: 'Se eu fosse mais jovem, iria para o Afeganistão', diz Bush   A missão estava prevista anteriormente para terminar em 2009, mas os conservadores governistas e a oposição liberal fizeram um acordo, no mês passado, para passar a medida, aprovada por 187 a 99 na quinta-feira, 14. Os liberais apoiaram a ampliação do tempo depois de Harper ter prometido que a missão aumentaria seu foco em treinamento e reconstrução.   A extensão da missão está condicionada ao fornecimento de cerca de mil soldados pela Otan, além de helicópteros e aeronaves de monitoramento não tripuladas para apoiar as forças presentes na província de Kandahar, no sul do país, um antigo bastião do Taleban.   Os conservadores avaliaram a moção como um voto de confiança. Caso ela não fosse aprovada, as eleições do país poderiam ser Antecipadas. O governo do primeiro-ministro Stephen Harper tem enfrentado crescentes pressões para retirar seus 2.500 soldados do país. O número de canadenses mortos aumentou bastante, chegando atualmente a 80 soldados e um diplomata.   David Wilkins, embaixador dos Estados Unidos no Canadá, elogiou a atitude do Parlamento canadense. Wilkins também avaliou o ultimato para a Otan como uma boa iniciativa.  

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoguerraCanadá

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.