Partidários da reforma das leis de imigração marcham em Los Angeles

Manifestantes com bandeiras dos EUA e México carregam cartazes com slogan de Obama

Efe

27 de março de 2010 | 21h06

Milhares de partidários da reforma da lei de imigração americana marcharam neste sábado, 27, pelas ruas de Los Angeles, na Califórnia, como parte de uma campanha de pressão nacional para que o Congresso a aprove este ano.

 

A passeata, que segue outra mobilização nacional efetuada no domingo passado em Washington, começou pouco antes do meio-dia, hora local. Manifestantes com bandeiras dos Estados Unidos e México carregam cartazes com mensagens como "Yes, we can" (sim, nós podemos em tradução livre).

 

O protesto em Los Angeles conta com o apoio das principais coalizões que impulsionam uma reforma no sistema de leis de imigração do país e de ao menos outras 20 organizações.

 

Segundo Jorge Mario Cabrera, porta-voz da Coalizão pelos Direitos Humanos dos Imigrantes de Los Angeles (CHIRLA), a comunidade latina se encontra "decepcionada" devido à falta de avanços a favor da reforma migratória no Congresso.

 

Embora, segundo a Casa Branca, o presidente Barack Obama mantenha seu compromisso com a reforma migratória, no Congresso há pouco apetite para abordar outro assunto espinhoso como a reforma do sistema de saúde.

 

Os senadores Charles Schumer, democrata por Nova York, e Lindsey Graham, republicano pela Carolina do Sul, apresentaram na semana passada uma proposta de quatro pontos para avançar nas negociações para a reforma migratória.

 

A iniciativa incluía ideias para a eventual legalização da população sem documentação, o reforço da segurança na fronteira e um programa de trabalhadores hóspedes.

 

O plano bipartidário também criaria um cartão de Seguro Social biométrico à prova de fraude que as empresas poderiam utilizar para verificar o status migratório de seus novos empregados.

 

Após o duro debate e aprovação da reforma do sistema de saúde, que não contou com nenhum voto republicano, Graham deu a entender que há pouca possibilidade de que a reforma migratória seja debatida este ano.

 

Os republicanos se queixaram de terem sido excluídos das negociações para a reforma do sistema de saúde e disseram que os democratas podem se esquecer do apoio bipartidário para a reforma migratória.

 

A reforma do sistema de imigração foi outra das grandes promessas que o presidente Barack Obama fez aos latinos durante a disputa presidencial em 2008.

 

Na Câmara de Representantes, o legislador democrata Luis Gutiérrez apresentou em dezembro um projeto de lei para a reforma migratória, mas ele não teve nenhuma ação legislativa.

Tudo o que sabemos sobre:
Jorge Mario CabreraCHIRLAEUAimigracao

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.