Arquivo da polícia de Delaware/AP
Arquivo da polícia de Delaware/AP

Pediatra é acusado de violentar 102 crianças nos EUA

Earl Bradley cometia abusos em clínica onde trabalhava e filmou grande parte dos crimes

Efe,

23 de fevereiro de 2010 | 20h13

Um juiz de investigação acusou um pediatra de abusar sexualmente de mais de 100 crianças, depois que a polícia fechou seus consultórios, confirmaram nesta terça-feira, 23, fontes judiciais da cidade de Dewes, no estado de Delaware.

 

O juiz do condado de Sussex indicou que Earl Bradley, de 56 anos, violou 102 meninas e um menino e filmou grande parte de seus atos.

 

Em dezembro passado, Bradley havia sido acusado de abusar de nove meninas, segundo as fontes.

 

Além de Bradley, a acusação inclui a BayBeews Pediatric - a clínica onde o médico trabalhava e cometeu os crimes - e também a Bradley Family, empresa na qual o pediatra mantinha seus investimentos.

 

As fontes acrescentaram que provavelmente o pediatra ficará na prisão de Smyrna, a menos que possa pagar uma fiança de US$ 2,9 milhões.

 

A acusação "reabrirá dolorosas feridas para Dewes e à comunidade do condado de Sussex", afirmou o procurador Beau Biden ao anunciar a acusação.

 

Os crimes foram descobertos depois que as autoridades confiscaram documentos e vídeos que agora estão sob análise da polícia local e do FBI.

 

Os bens de Bradley também foram congelados, os quais poderiam ser utilizados para compensar as vítimas por terem sido violentadas, disse Biden.

 

Segundo o portal Delawareonline, esta é uma das denúncias mais atrozes de abuso sexual apresentadas contra um médico na história dos Estados Unidos.

 

De acordo com o site, os vídeos revelam imagens de "incrível depravação".

Tudo o que sabemos sobre:
Pediatraabuso sexual

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.