Pela TV, Romney parte para o ataque contra Gingrich

O pré-candidato presidencial norte-americano Mitt Romney partiu para o ataque contra seu rival Newt Gingrich num canal liberal de TV, comparando-o a Herman Cain e a outros políticos que já despontaram como favoritos para receber a indicação do Partido Republicano à Casa Branca, mas depois sumiram.

SAM YOUNGMAN, REUTERS

20 de dezembro de 2011 | 19h15

"A liderança (de Gingrich) já não é tão grande quanto foi", disse Romney no programa "Morning Joe", do canal MSNBC. "Mas esse é meio que o processo pelo qual outras pessoas passaram. Suspeito que ele vai liderar até que deixe de liderar."

O conservador Gingrich, ex-presidente da Câmara, assumiu meses atrás a liderança entre os republicanos, mas sua vantagem nas pesquisas tem diminuído devido a ataques dos adversários e do intenso escrutínio da mídia sobre sua vida política e pessoal.

Na segunda-feira, uma pesquisa o colocou em terceiro lugar em Iowa, Estado que dá início ao processo de definição do candidato republicano, com o cáucus (assembleia eleitoral) de 3 de janeiro.

Agora, o líder no Estado é o deputado Ron Paul, ligeiramente à frente de Romney, ex-governador de Massachusetts.

Romney criticou Gingrich por declarações feitas a respeito da proposta do deputado republicano Paul Ryan para privatizar o programa Medicare, que oferece atendimento médico a idosos, e também por um anúncio de Gingrich sobre o aquecimento global, no qual o político aparece ao lado da democrata Nancy Pelosi, ex-presidente da Câmara.

Segundo Romney, esses são dois assuntos importantes para os conservadores, e em ambos Gingrich se aliou aos liberais.

"Então dizer que ele é mais conservador é um pouco forçado", disse Romney, sugerindo que seu rival continuará caindo ao se tornar mais conhecido. "Há muita coisa sobre Newt Gingrich que eu não sabia", afirmou.

Uma vitória de Romney em Iowa e, na sequência, em New Hampshire, onde ele lidera consistentemente, lhe daria um grande impulso para vencer a disputa primária. Mas o candidato disse que arrecadou dinheiro suficiente para a eventualidade de precisar disputar "até o final".

Tudo o que sabemos sobre:
EUAROMNEYGINGRICH*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.