Penetras da Casa Branca tentam pagar serviço com relógio falso

Michaele e Tareq Salahi deram o objeto para um decorador, mas voltaram atrás e pagaram

EFE,

11 de dezembro de 2009 | 16h19

Michaele e Tareq Salahi, o casal que burlou a segurança da Casa Branca e participou de um jantar de gala oferecido pelo presidente Barack Obama no mês passado, usou um relógio falso para pagar pelos serviços de um decorador.

 

O relógio em questão era um Patek Phillipe que, segundo Tareq Salahi, cobriria com folga a conta de mais de US$ 2 mil cobrada pelo decorador de exteriores que prestou serviços em sua residência.

 

No entanto, Ray Cosey, da casa R E Jewelers Watch & Clock, do estado da Pensilvânia, revelou que a peça não valia mais de US$ 100, e que possivelmente foi comprada na rua por um preço ainda menor. O valor médio de um relógio Patek Phillipe nos Estados Unidos é de cerca de US$ 15 mil.

 

"Nos demos conta imediatamente de que se tratava de uma imitação", disse Cosey ao jornal "The Washington Post".

 

Segundo a publicação, após perceber que o golpe poderia ser descoberto e para recuperar o relógio, Salahi entregou ao decorador um cheque, devidamente certificado, no valor de US$ 2.063.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.