Pentágono dificultará expulsão de homossexuais das Forças Armadas

Gates anunciará medidas que revisam a política 'don't ask, don't tell', segundo oficiais

24 de março de 2010 | 18h58

Associated Press

 

WASHINGTON- O secretário de Defesa norte-americano, Robert Gates, planeja anunciar na quinta-feira, 25, medidas que iriam, em alguns casos, dificultar a expulsão de gays das Forças Armadas, afirmaram oficiais de defesa nesta quarta.

 

As diretrizes são resultado de uma revisão de 45 dias sobre o que o Pentágono pode fazer em curto prazo enquanto o Congresso avalia um apelo do presidente Barack Obama para invalidar a vigente política "don't ask, don't tell" (não pergunte, não fale), que proíbe gays de servirem o Exército.

 

Em dezembro, espera-se que o Pentágono complete uma revisão mais completa de como repelir a atual política.

 

Espera-se que as mudanças que serão comunicadas por Gates incluam o ranking daqueles autorizados a iniciar procedimentos de investigação contra violadores da política "don't ask, don't tell", disseram fontes.

 

Gates também aumentará as exigências para uma informação ser considerada "de confiança" para abrir um inquérito, e vetar a expulsão de homens e mulheres do serviço militar, afirmaram os oficiais em condição de anonimato, porque um anúncio oficial ainda não foi feito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.