Pentágono diz que ataque na Bulgária tem marcas do Hezbollah

Departamento de Defesa dos EUA ainda não concluiu quem são os responsáveis pelo atentado

Reuters

20 de julho de 2012 | 14h36

WASHINGTON - Um atentado suicida que matou turistas israelenses na Bulgária nesta semana tem os indícios do grupo militante Hezbollah, apoiado pelo Irã, mas o Departamento de Defesa dos EUA ainda não concluiu quem são os responsáveis pelo ataque, disse um porta-voz do Pentágono nesta sexta-feira.

Veja também:

link Bulgária desmente versão sobre identidade de autor do atentado

O ataque a um ônibus que levava israelenses a um aeroporto búlgaro "tem as características do Hezbollah", disse a repórteres o secretário de imprensa do Pentágono, George Little.

O ministro do Interior da Bulgária, Tsvetan Tsvetanov, disse mais cedo que o responsável pelo ataque, que matou seis e se suicidou, era um estrangeiro. Sofia está investigando com a ajuda de serviços de inteligencia estrangeiros.

Little se negou a detalhar os sinais de um ataque do Hezbollah ou como poderia ser diferenciado de um outro realizado pela al Qaeda, que não tem ligações com o Irã.

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, acusou os militantes do Hezbollah de realizarem o ataque na quarta-feira no aeroporto Burgas, um popular acesso a turistas que visitam o litoral búlgaro no Mar Negro. O Irã negou qualquer envolvimento no caso.

Mais conteúdo sobre:
EUABulgáriaatentadoIsrael

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.