Pequena explosão atinge Times Square em Nova York

Estação de recrutamento do Exército é atingida, sem deixar feridos; polícia investiga hipótese de terrorismo

Agências internacionais,

06 de março de 2008 | 07h52

Uma pequena explosão atingiu um centro de recrutamento do Exército americano nas primeiras horas desta quinta-feira, 6, em Times Square, em Nova York, afirmou a polícia. Segundo o Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos, o incidente não representa ameaça para a segurança do país.   Veja também: Petróleo dispara com dólar baixo e explosão   A porta-voz do departamento, Laura Keehner, disse ainda que o FBI participa das investigações sobre o caso. Perguntada se o incidente teria alguma ligação com terrorismo, ela disse que a investigação ainda está em fase inicial, mas acrescentou que "não há informação crível que sugira a existência de uma ameaça iminente ao território neste momento".   Segundo a polícia, uma pequena bomba ou dispositivo incendiário foi atirado no sobrado do centro de recrutamento, por volta de 3h45 (5h45 em Brasília), quebrando uma vidraça. Segundo a polícia, houve pequenos danos também na porta do lugar.   A polícia chegou a isolar aquela área, de grande movimento turístico (embora menos agitada durante a madrugada). O tráfego, porém, voltou a fluir na praça três horas depois da explosão. A operação do metrô na importante estação Times Square também está normalizada, segundo TVs locais.   O centro de recrutamento do Exército fica em uma área bastante movimentada entre as avenidas Broadway e Seventh Avenue, na Times Square. O local é conhecido como cruzamento do mundo. A estação de recrutamento tem sido palco de protestos contra a guerra do Iraque desde 2003.   Testemunhas afirmam que ouviram um grande barulho seguido de muita fumaça. Elas disseram também que a explosão provocou uma grande quantidade de fumaça. Segundo a Fox News, a polícia encontrou na região uma bomba que não chegou a explodir.  A emissora disse ainda que a bomba pode ter sido lançada por alguém que passou de bicicleta peo local.   O capitão Charley Jaquillard, que trabalha no local por ser o encarregado do recrutamento do Exército em Manhattan, disse que não havia ninguém no prédio na hora da explosão. Sobre a possibilidade de um atentado, ele disse: "Não sei, obviamente há alguma preocupação, mas vamos ver o que determina a investigação."    Matéria atualizada às 11 horas.  

Tudo o que sabemos sobre:
EUAExplosão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.