Pesquisa mostra aumento do apoio à proposta de saúde nos EUA

Aprovação do pacote do governo de Obama cresceu nove pontos percentuais, mas ainda há divisão de opiniões

Agência Estado e Associated Press,

07 de outubro de 2009 | 13h31

A oposição à revisão do sistema de saúde, proposta pelo presidente Barack Obama, caiu dramaticamente nos EUA em um período de poucas semanas segundo uma pesquisa da Associated Press-GfK divulgada nesta quarta-feira, 7, embora os americanos continuem divididos a respeito da complexa legislação que os democratas discutem no Congresso.

 

O levantamento mostrou que 40% da população apoia a nova legislação sobre saúde e 40% são contrários. O empate é uma boa notícia para os democratas e representa uma grande melhora em relação a setembro, quando 49% dos americanos se disseram contrários à proposta e apenas 34% declararam apoio.

 

Os EUA são o único país desenvolvido que não tem um sistema abrangente de atendimento para saúde, o que deixa cerca de 50 milhões de pessoas sem esse tipo de atendimento. De acordo com o projeto que está no Congresso, todos os americanos terão de ter um plano de saúde, seja por meio de seus empregadores, de um programa do governo ou por conta própria.

 

"É muito significativo que tenha havido um aumento no apoio ao projeto porque depois de agosto havia a impressão de que todos os esforços estavam começando a se perder e que não trariam melhoras no apoio do público", disse Robert Blendon, professor da Universidade de Harvard que acompanha a opinião dos americanos sobre o sistema de saúde. "Mesmo assim", disse ele, "o país continua dividido sobre se seguir adiante é a coisa certa a se fazer".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.