Pior incêndio na história do Colorado faz 1a vítima

Um incêndio que obrigou à retirada de 35 mil moradores da periferia da segunda maior cidade do Colorado já matou pelo menos uma pessoa e destruiu 346 residências, no pior incidente desse tipo na história do Estado, disseram autoridades na quinta-feira.

KEITH COFFMAN, Reuters

29 de junho de 2012 | 09h55

Aproveitando a redução do vento, os bombeiros conseguiram avançar no combate às chamas, que na terça-feira à noite atingiram comunidades no canto noroeste de Colorado Springs, além de ameaçarem a sede da Academia da Força Aérea local.

Fotos aéreas do chamado Incêndio do Cânion Waldo mostraram grandes extensões urbanas reduzidas a cinzas, ao lado de áreas praticamente intactas. Na quinta-feira, o prefeito Steve Bach anunciou que 346 casas haviam sido destruídas.

Horas depois, o chefe de polícia Peter Carey relatou que um corpo havia sido achado em meio aos escombros de uma casa, na primeira morte em cinco dias de incêndio.

Carey não deu detalhes sobre a vítima. Essa é a quinta morte devido a incêndios ocorridos na natureza neste ano no Colorado - o governo estadual disse que o Estado nunca sofreu tanto por causa disso.

A polícia disse ter relatos de que dois adultos estariam desaparecidos, mas não ficou claro se o corpo encontrado era de um deles.

Horas antes, a polícia disse que algumas pessoas tidas como desaparecidas provavelmente haviam deixado de se registrar como desabrigados junto à prefeitura ou à Cruz Vermelha.

Semanas atrás, 257 casas haviam sido destruídas por um incêndio muito maior ocorrido ao norte de Denver, maior cidade do Estado.

O presidente Barack Obama deve visitar o Colorado na sexta-feira. Ele pretende conversar com bombeiros e percorrer a área devastada.

(Reportagem adicional de Ellen Miller e Laura Zuckerman)

Mais conteúdo sobre:
EUACOLORADOFOGO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.